Conheça algumas das principais certificações do mercado financeiro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Obter uma certificação do mercado financeiro é considerado um passo importante para que você passe de investidor a especialista nesta área.

Inclusive, para atuar em algumas profissões relacionadas às finanças, ter uma certificação é obrigatório – caso do analista ou do assessor de investimentos, por exemplo.

Por isso, vamos mostrar neste artigo algumas das certificações do mercado financeiro brasileiro e explicar o que você precisa fazer para conseguir a sua. Confira abaixo!

Certified Financial Planner (CFP)

Se você pensa em se tornar um especialista em investimentos, o CFP é uma certificação que com certeza deve fazer parte do seu radar.

Sua emissão é internacional, feita pelo Certified Financial Planner Board of Standards. Mas, no Brasil, o exame é oferecido pela Associação Brasileira de Planejamento Financeiro (Planejar), com conteúdos adaptados para o cenário nacional.

Após a aprovação, o indivíduo recebe o selo de planejador financeiro qualificado, então, o CFP funciona como um diferencial, ao invés de ser uma exigência para atuação.

Porém, para aqueles que pensam em atuar no ramo de Private Banking de bancos cadastrados na Anbima, o CFP se torna obrigatória.

Para conseguir realizar o exame, é necessário ter formação em Ensino Superior e experiência com atividades financeiras para pessoas físicas.

A prova é realizada três vezes ao ano, e conta com seis módulos, envolvendo temas como gestão de ativos e investimentos, planejamento financeiro e ética gestão de riscos e seguros, entre outros.

É possível realizá-la de forma completa, com todos os módulos, ou modular, permitindo a escolha de um a cinco módulos. Neste caso, o prazo de aprovação em todos é de 2 anos.

O candidato possui ao total 7h5min para realizar as questões, e para ser aprovado, é necessário ter acertado 70%, com 50% de aproveitamento em cada módulo.

O custo completo do exame é de R$1.430. A realização de um módulo custa R$550, e para dois ou mais, o valor é de R$385 cada. A validade é de dois anos, e após a emissão, os associados devem pagar uma taxa anual de R$875.

Certificação de Especialista em Investimentos (CEA)

Segundo Renan Zanella, integrante da equipe de análises da Convex Research, o CEA poderia ser definido como o CPA-20 acrescido de matemática financeira.

Vista, então, como um passo seguinte da CPA-10 e CPA-20, a CEA é voltada para pessoas que pensam em ser especialistas de investimento, só que na parte de auxílio a gerentes de bancos ou à clientes na hora de escolher produtos de investimento.

Bem comum entre profissionais do setor comercial de instituições financeiras, a CEA faz com que um certo nível de qualidade seja mantido nessas áreas.

Renan pontua que a CEA “pode ser um diferencial para quem busca um primeiro estágio em uma vaga mais concorrida ou funcionários do mercado financeiro que busquem se realocar segmentos comerciais mais premiums como Personalite, Select, Prime”.

A avaliação possui 70 perguntas com foco em especialização de ativos financeiros. A duração máxima é de 3h30, e a Anbima oferece a prova diariamente.

A aprovação é adquirida com no mínimo 70% de acertos, e os candidatos podem utilizar uma calculadora HP 12C ao longo da prova.

Associados da Anbima pagam R$749 para realizar o exame, já os não associados, R$899. Um curso de atualização deve ser feito a cada 5 anos ou a cada 3 anos para aqueles que não possuem algum tipo de vínculo com instituições financeiras.

Essa renovação custa R$396 para associados e R$476 para os demais.

Certificação Profissional Anbima (CPA-10 e CPA-20)

Por contar atualmente com pouco amsid e 435 mil certificados (segundo números divulgados em novembro de 2020 pela Anbima), a CPA-10 é vista como pouco relevante para um profissional do mercado financeiro.

A certificação é direcionada para a venda de produto financeiros comuns, com atendimento direto ao público. É exigida por agências bancárias, plataformas de atendimento e até mesmo organizações de crédito.

Já a CPA-20, com mais de 130 mil certificações ativas, é tida como um pré-requisito para atuação de caixa a gerente nos principais bancos do país.

Bem mais procurada do que a anterior, oferece o diferencial de ser direcionada para o atendimento de clientes de alta renda, com aplicações no mercado de capitais.

O exame da CPA-10 possui 50 questões divididas em sete módulos, englobando temas como economia, finanças, sistema financeiro, ética e regulamentação. O prazo para realização é de 2h.

A CPA-20 possui 10 questões a mais, porém, com assuntos mais aprofundados, como compliance, gestão de risco e segmento de varejo de alta renda. Sua duração máxima é de 2h30.

Os custos para cada uma delas são os seguintes:

  • CPA-10: R$284 para associados e R$342 para não associados. Curso de atualização nos mesmos valores.
  • CPA-20: R$ 448 para associados e R$ 537 para não associados. Curso de atualização no valor de R$374 e R$448.

A validade para ambas é de cinco anos para profissionais vinculados e três para os demais.

Agente Autônomo de Investimentos (AAI)

Como o próprio nome antecipa, essa certificação faz parte da trajetória daqueles que buscam atuar de forma independente dentro de corretoras ou no mercado de títulos e valores imobiliários, sendo bastante solicitada para escritórios de investimentos.

Distribuída pela Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord), dá ao profissional a capacidade de se relacionar com os clientes de forma autônoma, tirando dúvidas sobre cada tipo de produto.

A vantagem principal da AAI é que, após sua emissão, o indivíduo passa a conquistar seus próprios clientes, sem depender de instituições terceiras para se consolidar como profissional.

Seu exame é composto por 80 questões separadas em 15 capítulos, com assuntos que giram em torno de regulação, compliance e produtos financeiros.

A aplicação é diária, e dura 2h30, no máximo. A aprovação é tida apenas com 70% de acertos, e o custo para a realização é de R$460.

Com a certificação em mãos, o agora agente autônomo tem de pagar uma taxa trimestral de R$634,63, para pessoa física, e de R$1.269,25, para pessoa jurídica.

Certificado Nacional do Profissional de Investimentos (CNPI)

A CNPI é voltada para profissionais que atuam como analistas de investimentos, recomendando a compra e venda de ações, e produzindo relatórios.

A certificação é dividida em três categorias: CNPI para Analistas Fundamentalistas, CNPI-T para Analistas Técnicos (Grafistas) e para Analistas Pleno (Fundamentalista e Técnico). Confira mais detalhes sobre cada uma delas:

A prova é garantida pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec), com aplicação diária e divisão três tipos de exames.

Porém, para todas as categorias da CNPI, é obrigatório passar no exame classificado como Conteúdo Brasileiro, com questõs sobre governança corporativa, derivativos, mercados de renda fixa e variável, entre outros.

Dependendo de qual certificação escolher tirar, é necessário também ser aprovado no Conteúdo Global 1, sobre análise de ações, relatórios financeiros, finanças corporativas e contabilidade financeira (CNPI), e Conteúdo Técnico 1, abordando análise técnica, conceito de tendência, Teoria de Dow, figuras gráficas e mais.

Para mais informações sobre essas qualificações e valores dos exames, acesse o site da Apimec.

O exame dura até 1h50, com 60 questões de múltipla escolha. A certificação tem validade de 5 anos, com taxas anuais e trimestrais.

Quer investir melhor e proteger seu patrimônio?

A Convex abriu as suas assinaturas anuais para novos membros. Garanta sua vaga: https://convexresearch.com.br/links/

Receba nossa

Newsletter

Novidades e informações importantes sobre a Convex

Relacionados

Preserve o Seu Patrimônio

Seja um Assinante Convex

Entre em contato para saber mais sobre nossas soluções e ferramentas para que você se torne um investidor global.