Flight to Quality: dólar se valoriza com conflito entre Rússia e Ucrânia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Em momentos de maior aversão ao risco, é comum que os investidores procurem ativos mais estáveis como porto seguro. É exatamente isso que está acontecendo com o dólar: a partir do início dos ataques da Rússia à Ucrânia, a moeda norte-americana registrou forte valorização ante o real.

Apenas na última quinta-feira (24), a divisa saltou de R$ 5 para R$ 5,10, uma valorização de mais de 2% em um único dia, na maior alta diária desde setembro do ano passado. Na máxima do intraday, a moeda chegou a ser cotada a R$ 5,15.  

“Em momentos de maior aversão ao risco, chamado “Risk off”, o dólar tende a se valorizar frente as principais moedas, pela dinâmica do ‘Flight to quality’, com um maior fluxo para ativos de baixo risco, denominados em dólares e reservas de valor”, explica Richard Rytenband, economista e CEO da Convex Research.

Leia também: Clássico portfólio 60/40 tem pior retorno desde 2008

A expressão “Flight to quality” (“vôo para a qualidade”, em português), se refere justamente a essa busca dos investidores para ativos de maior qualidade, que oferecem menos risco de alocação.

Com o acirramento do conflito Rússia e Ucrânia, o dólar que já vinha se valorizando, acelerou esta tendência, como ilustra o gráfico abaixo:

Um outro insight interessante que pode ser extraído do gráfico é que o dólar teve uma valorização importante em relação a uma cesta de moedas também consideradas fortes.

O índice DXY, que mede o desempenho do dólar diante de uma cesta de moedas de países desenvolvidos, mostra esse movimento nos últimos meses.

O DYX é composto pelas seguintes moedas:

  • Euro: 57,6%
  • Iene: 13,6%
  • Libra esterlina: 11,9%
  • Dólar canadense: 9,1%
  • Coroa suéca: 4,2%
  • Franco suíço: 3,6%

Já em relação ao real, a moeda norte-americana não se valorizou no começo do ano. “No momento temos uma divergência persistente entre o US Dollar Index e o Dólar x Real. Isso significa que o Real ainda não incorporou o recente movimento de valorização do dólar frente as principais moedas. Em outras palavras, por está ótica, o Real deveria estar bem mais desvalorizado”, explica o economista.

Rytenband aponta que em junho de 2021 houve uma divergência similar. Naquela ocasião, o dólar chegou a cair por alguns dias abaixo de R$ 5 e depois subiu para R$ 5,80, se alinhando a dinâmica do US Dollar Index (DXY).

Quer investir melhor e proteger seu patrimônio mesmo em momentos de crises e incertezas?

A Convex abriu as suas assinaturas anuais para novos membros. Garanta sua vaga: https://convexresearch.com.br/links/

Receba nossa

Newsletter

Novidades e informações importantes sobre a Convex

Relacionados

Preserve o Seu Patrimônio

Seja um Assinante Convex

Entre em contato para saber mais sobre nossas soluções e ferramentas para que você se torne um investidor global.