insights

Os perigos do efeito manada para o investidor

19.Outubro.2020

Investir em determinado ativo apenas porque muitas pessoas estão indo nesta direção é um dos erros mais comuns dos investidores e pode causar perdas dolorosas. Exemplos disso não faltam.

Este comportamento de seguir outros investidores sem saber o motivo é conhecido como Efeito Manada. O nome vem do movimento dos animais, que costumam correr na mesma direção quando um dos integrantes do grupo sai em disparada.

Mas se no mundo animal esta atitude pode salvar a vida dos rebanhos diante de predadores, no mercado financeiro ela pode ter efeito contrário: em momentos de reversão de ciclos, quem vai atrás de outros investidores de maneira irracional costuma sofrer fortes perdas, que podem arruinar as finanças.

Na Bolsa de Valores, este movimento é bastante comum e pode ser visto em diversos ativos. Alguns casos são mais emblemáticos, como a forte valorização das ações da fabricante de utensílios domésticos Mundial, em 2011.

O preço do papel disparou mais de 2.000% em menos de um ano, sem nenhum fundamento que justificasse a alta, em um movimento que ficou conhecido como Bolha do Alicate. Ao perceberem que o papel tinha subido de preço e que o volume negociado não parava de crescer, muitos investidores decidiram seguir o mesmo caminho.

Como era de se esperar, pouco tempo depois a bolha estourou e o preço das ações da Mundial desabou mais de 85% em poucas semanas.

Se ao invés de seguir a manada, os investidores tivessem analisado os fundamentos da empresa e tomado a decisão de maneira racional, teriam evitado as fortes perdas com esses papéis.

“Assim como o indivíduo na multidão pode perder sua consciência individual em detrimento a coletiva, o investidor sob efeito da manada abre mão de suas próprias análises e passa a ignorar os sinais em prol de seguir uma tendência de momento, desprezando qualquer gerenciamento de risco”, alerta Richard Rytenband, economista e CEO da Convex Research.

A psicologia por trás do efeito manada

Em seu livro A Multidão: Um Estudo da Mente Popular, publicado em 1895, o psicólogo francês Gustave Le Bom elaborou as bases do estudo sobre comportamento de massa.

Segundo ele, os indivíduos em uma multidão organizada correm o risco de perder a civilidade e se comportar de uma forma primitiva, o que poderia ajudar a compreender os efeitos da manada na economia e nos investimentos.

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) também trata do efeito manada em publicações voltadas para a educação financeira.  Segundo a autarquia, o comportamento de manada é identificado por um viés chamado Efeito Adesão.

“Efeito Adesão é um fenômeno psicológico que consiste na tendência a fazer ou crer em algo porque um grande número de pessoas o faz. Esse viés pode nos fazer tomar decisões irrefletidas, com base no comportamento da maioria. É sinônimo de “comportamento de manada”, aponta a publicação CVM Comportamental, de 2017.

Para evitar cair neste tipo de situação, é preciso resistir ao apelo de popularidade, que pode levar ao excesso otimismo e provocar aquele famoso pensamento: “se todos estão lucrando com isso, eu também posso”.

Em vez disso, passe a observar os sinais dos ativos e da economia e tome as suas decisões baseadas em fundamentos sólidos. Dessa forma, você irá se proteger das perdas e terá ganhos consistentes ao longo do tempo.

Banner Insights

Convex

Receba nossa Newsletter

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.
Ver Política de Privacidade