insights

Tenha ao menos 1 bitcoin e guarde para o longo prazo, aconselha economista

27.Abril.2021

Se você já investe em criptomoedas ou está pensando em começar a aplicar neste tipo de ativo, Richard Rytenband, economista e CEO da Convex Research, aconselha a criação de dois portfólios diferentes.

No primeiro, você vai investir em bitcoin pensando no longo prazo. Para isso, deve comprar a criptomoeda até que atinja ao menos uma unidade de bitcoin. Já o segundo portfólio pode ser composto tanto por bitcoins quanto por outras criptomoedas, respeitando a etapa do ciclo de mercado para esta classe de ativos.

Somando os dois portfólios, a exposição total da carteira global pode variar entre 5% e 10% em criptoativos, dependendo do perfil de cada investidor.

“Todas as pessoas deveriam ter a ambição de atingir 1 bitcoin e deixá-lo guardado na sua wallet para o longo prazo. Lembre-se de que este é um ativo escasso, limitado a 21 milhões de unidades. E uma boa parte delas já foi perdida no início da mineração, em casos de pessoas que perderam a chave, por exemplo”, disse Rytenband durante o Crypto Week, maior evento de criptoativos do mundo.

O economista afirmou ainda que uma das principais contribuições do bitcoin é mostrar como as moedas estatais provocam estragos na sociedade, com a perda de poder aquisitivo provocada pela inflação. “Isso tem acontecido de forma ainda mais acelerada nos últimos anos”, pontua.

A verdade é que com a pandemia de Covid-19 e o forte aumento da oferta monetária em 2020, os preços passaram a dar inúmeros sinais de descontrole e o aumento da inflação vem preocupando economistas em vários países. Nos EUA, por exemplo, especialistas avaliam as pressões inflacionárias com cautela e afirmam que este ano o país pode enfrentar um aumento significativo nos preços.

No Brasil os preços não param de subir e a inflação oficial, medida pelo IPCA, chegou a 6,10% em 12 meses e já ultrapassou o teto da meta. Já o IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado) disparou ainda mais e acumulou forte alta de 23,14% em 2020.

Esses números significam que o dinheiro perdeu valor em ritmo acentuado no ano passado e os investidores que não se protegeram viram seu patrimônio encolher em termos reais.

Por ser um ativo escasso, o bitcoin funciona como uma reserva de valor e protege o seu patrimônio da corrosão pela inflação.

“As pessoas estão perdendo poder de compra de forma acentuada com as injeções de liquidez nas economias. Meu conselho diante disso é que cada investidor compre regularmente e tenha pelo menos 1 bitcoin na carteira” conclui Rytenband.

Banner Insights

Convex

Receba nossa Newsletter

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.
Ver Política de Privacidade